(55) 3028.6888 | (51) 3723.1502

Blog

Novidades e conteúdo exclusivo sobre saúde ambiental.

Existem em torno de 2 mil espécies de formigas no Brasil. E elas cumprem um importante papel na natureza, ajudando a aerar o solo e a polinizar plantas. Porém, alguns grupos podem se tornar verdadeiras ameaças – seja à produção agrícola, seja à saúde das pessoas. Veja por quê.

Formigas cortadeiras causam prejuízo às lavouras

A popular saúva habita o continente americano há mais de 320 milhões de anos. Ela recebe o nome de “cortadeira” porque retira pedaços das plantas e os carrega para o ninho. Folhas e ramos servem para o cultivo de um fungo, que vem a ser o verdadeiro alimento do inseto.

Essas formigas atacam vegetais em qualquer fase de desenvolvimento. Por isso, chegam a provocar prejuízos em florestas inteiras, inviabilizando a produção de madeira. Eucaliptos, pinus e acácias são suscetíveis aos danos.

Outro alvo das criaturas são as árvores frutíferas. Ainda, agricultores do Paraná já registraram casos desses animais em plantações de soja, por exemplo.

O dado também preocupa os gaúchos. Segundo pesquisadores da Universidade Federal de Pelotas, o Rio Grande do Sul concentra pelo menos dez espécies de formigas cortadeiras. A maior parte das colônias está na metade oeste do Estado – justamente onde se localizam grandes lavouras.

Formigas e o risco de infecção hospitalar

Quando saem em busca de alimento, as formigas transitam por qualquer ambiente. Podem passar sobre animais mortos, fezes, latas de lixo e outras áreas contaminadas. Como consequência, acabam carregando agentes patógenos, a exemplo de vírus, fungos e bactérias.

É por isso que os especialistas consideram esses artrópodes tão nocivos quanto as baratas. O pior é que, por não causarem aversão nas pessoas, passam despercebidos e seguem seu rumo.

Ironicamente, certos exemplares desses insetos são indicadores de limpeza. Isso porque as formigas são atraídas por material esterilizado. Contudo, se não houver o devido controle, elas conseguem carregar micro-organismos da rua para o interior de consultórios e clínicas médicas.

Assim, infestações podem acarretar surtos de infecções hospitalares. O perigo se agrava nas unidades de tratamento intensivo, por conta da presença de superbactérias.

Como evitar infestação de formigas

O principal meio de prevenção consiste em vedar aberturas de pisos e paredes. Basta um azulejo mal colocado para que se forme uma colônia de formigas.

A higienização dos recintos também é importante. Farelos de alimentos chamam essa e outras pragas.

Além desses cuidados, recomenda-se o controle preventivo de insetos. O procedimento pode ser realizado em armazéns, supermercados e hospitais, com garantia de quatro meses.

A equipe da Desinservice tem experiência no serviço e atende a normas de segurança ambiental. Entre em contato conosco e solicite um orçamento. Atendemos em todo o Rio Grande do Sul. Fones: (55) 3028.6888 / (51) 3723.1502.