(55) 3028.6888 | (51) 3723.1502

Blog

Novidades e conteúdo exclusivo sobre saúde ambiental.

Os cupins existem na Terra há muito mais tempo que o próprio homem. Restos fossilizados desses insetos já foram encontrados em formações geológicas datadas de 55 milhões de anos.

Desde que o homem começou a construir habitações e outras estruturas de madeira, é que os danos causados pelo cupim começaram a ser verificados, compreendidos e odiados.

Cupim pode ser um problema para quem tem móveis de madeira, livros, papéis, discos de vinil, fotografias… ufa! O paladar deles é bem diversificado e não tem nada que escape (qualquer avó sentiria orgulho de um neto que come como o cupim). O prejuízo de conviver com esses insetos debaixo do mesmo teto pode ser grande.

Se você leu até aqui é provável que já sofra com os danadinhos faz tempo. Eles estão tirando você do sério? Calma. Tem como dar jeito nisso. A Desinservice quer te ajudar. Continue a leitura.

PARENTES DAS FORMIGAS?

Eles são parecidos. Como insetos sociais, cupins e formigas têm em comum vários comportamentos e adaptações decorrentes deste fato. Mas, na verdade, não são sequer parentes próximos e apresentam, inclusive, diferenças de forma. Por exemplo:

– Presença de “cintura” nas formigas e ausência de cintura nos cupins.

– Antenas em “cotovelo” nas formigas e antenas retas nos cupins.

Antigamente, algumas pessoas os chamavam erroneamente de formigas brancas. Mas na verdade eles não são nem parentes delas. Cupins pertencem a ordem Isoptera e formigas a ordem Hymenoptera (a mesma das abelhas).

Se você for vê-lo num microscópio, o cupim é pequeno, delicado, e as patas minúsculas são finas, assim como as curtas antenas da cabeça grande. O comprimento total é de no máximo 2,5 cm e às vezes menor do que 5,5 mm. Olhando assim, não parecem bichinhos tão destruidores, não é?

ONDE ELES ERGUEM ACAMPAMENTO?

– Os cupins subterrâneos fazem ninhos no solo buscando umidade e aparecem na superfície para procurar madeira;

– Quando se deslocam para a superfície, os cupins usam túneis que constroem para se proteger da desidratação;

– Os cupins-de-madeira fazem ninho na madeira que comem e podem, também, fazer ninhos nos alicerces de casas, vigas, móveis e até mesmo livros sem ter necessidade de voltar para a terra para buscar umidade.

DE ONDE VÊM? DO QUE SE ALIMENTAM?

Vamos ler a “biografia” dos três principais:

O Nasutitermes corniger tem origem brasileira, das regiões norte e nordeste, e é a principal espécie da praga, infestando o madeiramento do telhado, cercas de criação, batentes de portas e armários embutidos. Eles infestam madeira dura ou mole, seca ou úmida, manufaturada ou não, e ocasionalmente plantas vivas, causando danos consideráveis.

Já o Coptotermes gestroi (popularmente conhecido como “cupim de solo” ou “cupim de parede”) também danifica materiais que não fazem parte de sua alimentação, como betume, borrachas, cabos elétricos e telefônicos, couros, isopor, plásticos, metais, tijolos e tecidos quando estes se interpõem entre os cupins e sua fonte de alimento.

E tem também o Cryptotermes brevis, que é uma espécie de cupim de madeira seca, pertencente à Família Kalotermitidae, muito comum em infestações de mobiliários em áreas urbanas, onde causa grande prejuízo econômico. Esta espécie de cupim vive exclusivamente dentro da madeira da qual se alimenta, e constrói ali suas colônias. Cupins de madeira seca podem permanecer em um móvel ou estrutura de madeira de 3 até 5 anos.

AGORA QUE VOCÊS JÁ SÃO ÍNTIMOS…

… Já pode mandá-los embora! Entre em contato com a Desinservice que fazemos o serviço. Fones: (55) 3028.6888 / (51) 3723.1502. Atendemos em todo o Rio Grande do Sul.