Blog Desinservice

Novidades e conteúdo exclusivo sobre saúde ambiental.

O resultado é simples: eliminar as pragas em todo o condomínio. Mas, você quer aprender como a dedetização em condomínios funciona de maneira efetiva? Confira então este guia extremamente didático de como funciona a dedetização em condomínios.

As pragas urbanas são praticamente impossíveis de serem exterminadas, pois vivem nos esgotos, em terrenos baldios e em lixões. E de quebra, insetos e ratos se reproduzem com bastante rapidez. Por esse motivo, o máximo que a gente consegue é adotar medidas de controle, como a dedetização em condomínios.

O procedimento de dedetização cria uma barreira química na área, impedindo o acesso de seres indesejados. Assim, seu patrimônio fica protegido dos estragos. Já sua família permanece livre de doenças causadas por mosquitos, roedores e outros bichos asquerosos.

Algumas dúvidas muito comuns que surgem são “dedetização é responsabilidade do inquilino ou proprietário?”, “quem deve pagar pela dedetização em meu condomínio?”, “qual é o preço da dedetização em apartamento?”. Vamos esclarecer as dúvidas logo mais. Continue conosco!

Principais pragas e o dever dos condôminos

Os residentes têm sua parte no controle de pragas e hospedeiros no condomínio, uma vez que seus próprios imóveis podem ser foco de infestação.

Os moradores devem ficar atentos à presença dos seguintes pragas:

  • Baratas: tanto de esgoto (barata-americana) quanto as “paulistinhas”;
  • Cupins: tanto de solo quanto de madeira seca;
  • Mosquitos e pernilongos: atenção especial ao Aedes aegypti;
  • Ratos: camundongos e ratazanas;
  • Pombos: esses animais são protegidos pela legislação ambiental e não podem ser exterminados. Porém, é fundamental dispersá-los e evitar a exposição das pessoas, uma vez que são vetores de doenças graves;
  • Morcegos: assim como os pombos, os morcegos devem ser dispersados para evitar a transmissão de doenças graves.

É importante apontar que, caso haja infestação e prejuízos ao empreendimento e seus moradores, o síndico pode ter que indenizar o condomínio.

Dedetização em apartamento

Via de regra, o proprietário é a pessoa responsável pela manutenção do imóvel. Ele deve arcar com todos os serviços de pintura, instalação elétrica, conserto hidráulico e por aí vai. Esses procedimentos melhoram a segurança do ambiente, além de valorizar o apartamento no caso de uma venda ou locação.

O controle de pragas também entra na lista de cuidados e precisa ser feita com muita cautela. O trabalho realizado indevidamente pode contaminar não só o ambiente em questão como outros.

Por exemplo: digamos que haja uma infestação de formigas na cozinha. Inseticidas comuns apenas espantam os insetos, que fogem para trás dos móveis e dos azulejos. Com isso, corre-se o risco como a migração dessas pragas para outros apartamentos vizinhos.

Então, é preciso contratar uma dedetizadora – empresa especializada no controle de insetos.

Se você está pensando em botar sua casa para alugar, lembre-se de investir numa desinsetização completa. Isso garante que o local esteja em perfeitas condições de ser habitado.

Porém, vale ressaltar que alguns problemas decorrem do uso do imóvel. Nesse caso, o inquilino deverá pagar as despesas.

Imagine que a resistência do chuveiro queimou. O próprio locatário vai substituir a peça, correto? E quando acontece uma invasão de cupins durante uma noite quente de primavera? Da mesma forma, cabe a ele procurar a solução para preservar os móveis de madeira. Recomendamos a descupinização profissional.

Saiba mais: Dicas de manutenção predial para evitar prejuízos no imóvel

Dedetização em condomínio

A dedetização em condomínios precisa ser realizada com uma certa frequência. Por isso, os condomínios precisam contratar empresas que realizam esse trabalho com eficiência. Mas, como escolher uma empresa dedetizadora boa e eficiente?

Com certeza essa é uma dúvida que todos os síndicos e gestores de condomínios sempre fazem na hora da contratação. Vamos respondê-la em breve, aguarde!

Nem só de casas ou apartamento é feito um conjunto residencial. Há áreas de uso comum, como playground, salão de festas, campo de futebol, quadra de tênis, lavanderia, garagem e jardim.

Esses espaços também podem sofrer a ação de pragas urbanas. Dos ratos que sobem pelos bueiros aos mosquitos da dengue que se reproduzem na caixa d’água existem diversas ameaças aos moradores. E elas precisam ser combatidas.

Por isso, a importância da realização periódica dos serviços de desinsetização (dedetização de insetos) e da desratização (dedetização de ratos) nos condomínios residenciais e comerciais, através da contratação de empresas especializadas no controle de pragas.

A escolha da empresa pode ser feita durante a assembleia. Cabe ao síndico instituir medidas para o controle de pragas no condomínio.

É importante que os condôminos estejam de acordo com a realização do procedimento. Não se trata apenas de uma questão financeira – afinal, o investimento em dedetização das áreas comuns será dividido entre todos.

Essa é uma questão de saúde pública. Sem o controle químico, pode haver infestações graves de insetos na região, o que aumenta o risco de transmissão de doenças.

Manutenção de CONDOMÍNIO: 7 coisas que todo síndico deve saber

Você é síndico ou administrador de condomínios? Então baixe nosso e-book com dicas para facilitar o seu trabalho.

Existe alguma Lei que obriga a dedetização em condomínios?

No Brasil, não há uma Lei Federal que regulamente a dedetização de condomínios, sejam eles comerciais ou residenciais. No entanto, existem diversas leis municipais e estaduais que tratam do assunto, o que faz com que não haja uma uniformidade nas regras que devem ser seguidas país afora.

Embora a Anvisa oriente a dedetização mensal, atualmente, no mercado, existe um consenso de que o serviço deve ser feito, no mínimo, a cada seis meses. Essa discordância ocorre por conta dos gastos que a contratação desse serviço pode gerar para o condomínio, especialmente para aqueles de menor porte.

Para ter certeza sobre a frequência ideal, é importante consultar uma empresa especializada, que possa identificar possíveis focos de infestação e avaliar o local em que o condomínio se encontra.

É importante destacar que a duração média dos efeitos dos materiais aplicados é de 60 a 90 dias. Por isso, caso não seja possível realizar a dedetização todos os meses, é preciso que o síndico busque fazê-la com a maior frequência possível.

Como escolher a dedetizadora certa para o seu condomínio?

Ratos, pombos, baratas, formigas e cupins: todas essas criaturas oferecem problemas diferentes. Algumas espalham sujeira, enquanto outras corroem móveis e fiações elétricas. O resultado? Prejuízo material, deterioração do patrimônio e possibilidade de acidentes.

O pior é que a maioria das pragas consegue se esconder com facilidade, exigindo medidas drásticas para acabar com a infestação. Nessas horas, muitos leigos recorrem a venenos comprados no varejo. Está errado! Esses produtos eliminam somente os bichos que estão na superfície. Dificilmente atingem o núcleo da colônia.

Vendo que o problema continua, a solução seria aumentar a dose, certo? Não. A alta concentração de substâncias tóxicas no ambiente representa um perigo à saúde dos vizinhos. Pode haver alergias, dificuldade respiratória e até intoxicações mais graves.

Cada praga urbana demanda um tratamento específico, que respeite regras para preservar o meio ambiente e o bem-estar das pessoas. Apenas equipes profissionais possuem os equipamentos e a técnica para isso.

Tem até resolução específica sobre o assunto. É a RDC 52, da Agência Nacional Vigilância Sanitária (Anvisa). O texto determina as condições para o funcionamento de companhias especializadas em controle de pragas. Só as empresas que sigam essas exigências estão aptas a realizar o serviço.

No Rio Grande do Sul, as dedetizadoras devem ter licença de operação concedida pela Fundação Estadual de Proteção Ambiental Henrique Luís Roessier (Fepam). Esse é o órgão que autoriza e fiscaliza a atividade em solo gaúcho.

Portanto, ao contratar uma dedetizadora, exija licença da Fepam. Lembre-se também de que a dedetização deverá ser renovada periodicamente. Isso porque os domissanitários utilizados no processo têm meia vida limitada. Isto é, perdem o efeito depois de alguns meses.

Além da desinsetização, recomenda-se contratar o serviço de higienização de reservatórios a cada semestre. Essa medida evita a proliferação de bactérias, fungos e protozoários nas caixas d’água. Também ajuda a reduzir a reprodução de insetos, principalmente o mosquito Aedes aegypti, transmissor de dengue, zika e chikungunya.

Saiba mais: Tire suas dúvidas sobre limpeza de caixa d’água

Outras medidas para reforçar o controle de pragas em condomínios

O controle integrado de pragas vai além da desinsetização química. Cada morador deve fazer sua parte para diminuir a incidência de seres indesejados. Confira algumas dicas que podem se transformar em regras do condomínio:

  • Limpar vasos de plantas e outros objetos que possam acumular água da chuva (o que os torna criadouros de mosquitos);
  • Recolher o lixo diariamente e depositá-lo nos locais apropriados, pois os resíduos atraem insetos e ratos;
  • Manter as tampas dos ralos e dos bueiros sempre fechadas;
  • Descartar os restos de comida e lavar a louça após o uso de quiosques, churrasqueiras e salões de festas;
  • Manter os serviços de esgotamento e limpeza de fossa séptica do condomínio em dia, evitando o mau cheiro e reduzindo a quantidade de alimento disponível para baratas e outras pragas.

Esses hábitos, junto com a dedetização profissional, vão melhorar bastante o dia a dia da vizinhança. Não há praga que sobreviva a tantos cuidados!

Saiba mais: Saiba mais: Como planejar o calendário de renovação do controle de pragas

A Desinservice oferece vantagens para clientes residenciais. A modalidade de contrato condominial prevê a renovação automática dos serviços, bem como o controle periódico dos procedimentos. Com a emissão de relatórios técnicos, nossa equipe consegue realizar a gestão das operações, verificando os pontos críticos e sugerindo melhorias para afastar de vez as pragas.

O melhor de tudo é que, assim, você poupa tempo e dinheiro. Ter uma empresa fixa de dedetização evita o retrabalho com a contratação de diferentes fornecedores. Ainda, pode-se operar com parcelas reduzidas e preço especial tabelado para os condôminos.

Quer saber mais? Entre em contato conosco e solicite um orçamento para controle de insetos, controle de ratos ou controle de cupins e brocas. Também atuamos com higienização de reservatórios e com desentupimento.

Fones: (55) 3028-6888 / (51) 3723-1502. Whatsapp: (55) 99905-3373. Atendemos em todo o Rio Grande do Sul.

Orçamentos para Controle de Pragas, Sanitização e Higienização de Reservatórios

Posts Relacionados