(55) 3028.6888 | (51) 3723.1502 | (55) 99905.3373

Blog

Novidades e conteúdo exclusivo sobre saúde ambiental.

O controle de pragas, na indústria alimentícia, é uma etapa fundamental da cadeia produtiva. Esse serviço protege os insumos de possíveis contaminações por bactérias, fungos e outros agentes patógenos.

Os parasitas se espalham quando há presença de insetos e ratos no ambiente, atraídos pela comida em abundância. Por isso, sua empresa precisa tomar medidas para conter danos. A seguir, conheça as principais.

Quem realiza o controle de pragas na indústria alimentícia?

A Secretaria de Vigilância Sanitária do Ministério da Saúde é o órgão que define as boas práticas para a indústria de alimentos. Na Portaria nº 326, há orientações relativas a transporte de matéria-prima, limpeza das instalações e descarte do lixo, entre outras diretrizes.

As regras para o controle de pragas estão discriminadas no item 4.4 do documento. O texto explica que devem ser ministrados produtos químicos, “sob a supervisão direta do pessoal tecnicamente competente que saiba identificar, avaliar e intervir nos perigos potenciais que estas substâncias representam para a saúde”.

Em outras palavras, não adianta espalhar qualquer veneno em galpões, cozinhas e linhas de produção. O uso incorreto de inseticidas pode tornar as pragas mais fortes, além de causar intoxicação. Portanto, os serviços de desratização, descupinização e desinsetização devem ser executados por profissionais.

Como funciona o controle de pragas na indústria de alimentos?

No caso da indústria agrícola, os cuidados já começam nos silos graneleiros. É preciso recorrer à fumigação para garantir que a massa estocada fique livre de traças e besouros. Esses insetos não só causam quebra, como também podem comprometer a qualidade dos insumos.

Durante o transporte de materiais, o perigo está na carroceria dos caminhões e nos caixotes de madeira. Esses itens podem esconder cupins, formigas, baratas e ratos. Recomenda-se vistoriá-los com frequência.

O prédio da fábrica também deve ser inspecionado. A preocupação maior são frestas e rachaduras que possam facilitar a entrada de invasores. Incluem-se nesse grupo os insetos e os ratos, que são vetores de doenças perigosas.

Em acréscimo, a manutenção dos equipamentos diminui o risco de infestações. Deve-se evitar o acúmulo de sujeira e descartar adequadamente o lixo, pois os dejetos servem de alimento para as pragas.

Por fim, não se esqueça de contratar uma imunizadora de qualidade. Pesquise se a companhia tem autorização para operar, respeita as normas da Vigilância Sanitária e toma precauções para garantir a segurança dos trabalhadores.

A Desinservice possui mais de 30 anos de experiência no controle integrado de pragas. Conte conosco para os serviços de expurgo de grãos e dedetização. Atendemos em todo o Rio Grande do Sul. Fones: (55) 3028.6888 / (51) 3723.1502.

Orçamentos para Controle de Pragas, Sanitização e Higienização de Reservatórios