Blog

Novidades e conteúdo exclusivo sobre saúde ambiental.

Você não precisa ter animais de estimação para se preocupar com infestação de pulgas. Esses parasitas sobrevivem nos lugares mais diversos, como depósitos de materiais, cinemas e ônibus.

Além do tamanho minúsculo, os insetos demonstram grande resistência. Nem mesmo uma faxina pesada é capaz de eliminar essa praga.

Ocorre que as criaturas saltitantes causam muito mais que coceira. Elas podem carregar bactérias e protozoários, sendo transmissoras de diversas doenças. Por isso, você deve agir rápido para impedir transtornos ainda maiores. Continue a leitura para aprender como funciona o ciclo de vida das pulgas e o que fazer para interrompê-lo.

Características e ciclo de vida das pulgas

Pulgas são hematófagas, isto é, alimentam-se de sangue. A espécie mais comum é a Pulex irritans, que ataca tanto humanos quanto cães e gatos. Porém, as demais variedades têm outras predileções. Alguns desses bichos parasitam roedores, macacos, porcos, morcegos e até aves.

Quando o inseto adulto encontra um hospedeiro, começa o ciclo de reprodução. Ele deposita pelo menos 20 ovos por dia, que caem no ambiente. Após um período, que varia conforme a temperatura e o nível de umidade do local, as larvas eclodem.

Saiba mais: Por que você sofre mais picadas de mosquito que outras pessoas?

Nesse estágio, elas se nutrem de fragmentos de pele, fezes de pulgas adultas ou outro tipo de matéria orgânica. Depois, criam um casulo de proteção, dando origem à fase de pupa.

Levam-se mais alguns dias até que o inseto atinja a maturidade. Então, estará pronto para atacar novos hospedeiros e recomeçar o ciclo.

As pulgas medem poucos milímetros, mas conseguem dar saltos de 30 cm de altura. É dessa forma que se locomovem em busca de alimento. Não bastasse a agilidade, também são extremamente resistentes, chegando a sobreviver 200 dias sem sugar sangue.

Por que é tão difícil controlar infestação por pulgas

Apenas 5% das pulgas que infestam uma área são adultas. Os outros 95% correspondem a ovos, larvas e pupas, que não são eliminados com inseticidas comuns.

Os xampus antipulgas aplicados em pets tampouco funcionam nas criaturas mais jovens. Portanto, o tratamento para controlar a praga deve ser contínuo e extensivo a todo o ambiente.

Os locais com maior concentração de ovos são, justamente, as regiões onde os animais domésticos passam mais tempo: tapetes, sofás e caminhas. Os parasitas também se escondem nas frestas do assoalho e nas costuras dos tecidos.

Contudo, como dissemos no início do texto, você não precisa ter um cachorrinho em sua propriedade para se preocupar. As pulgas podem estar nas roupas de um visitante, ou mesmo no corpo de outras pragas urbanas.

Por exemplo, ratos costumam frequentar despensas, depósitos e outros cômodos com abundância de alimento. Se estiverem carregando pulgas, as saltadoras podem se instalar por ali.

Saiba mais: Aprenda a identificar sinais de infestação por ratos

Pombos também são acometidos pelas sugadoras de sangue, embora isso seja mais raro. Se um pássaro resolver fazer ninho no telhado, os insetos terão outra rota de entrada no prédio.

Sendo assim, o controle de pulgas requer medidas integradas ao controle de outros invasores. Limpeza, barreiras físicas e o emprego de substâncias específicas resolvem o problema, como mostraremos adiante.

Doenças transmitidas por pulgas

Porém, antes de explicarmos como controlar uma infestação de pulgas, cabe ressaltar a importância dessa operação. Claro que a coceira é um grande incômodo para quem convive com os insetos. A picada causa lesões avermelhadas, protuberantes e com prurido intenso.

Só que o bem-estar de pessoas e animais também fica ameaçado devido a doenças. Pulgas podem carregar agentes nocivos. As do gênero Ctenocephalides, comuns em cães e gatos, transportam vermes causadores de tênias.

Outras enfermidades importantes são a peste bubônica e o tifo murino. As bactérias causadoras desses males – Yersinia pestis e Rickettsia mooseri, respectivamente – se desenvolvem no organismo dos ratos. Quando a pulga realiza a hematofagia num hospedeiro contaminado, pode repassar o microrganismo a outras vítimas.

Tanto a peste quanto o tifo são tratáveis com antibióticos. Para evitar a ocorrência dessas doenças, é crucial manter as devidas condições de higiene, de modo que as populações de pragas não cresçam desordenadamente.

Como controlar pulgas no ambiente

E, enfim, chegamos às ações para lidar com um ambiente infestado por pulgas. Elas também estão relacionadas à higienização, mas não pense que uma simples faxina resolve. Como larvas e pupas são resistentes a produtos de limpeza, os cuidados devem ser minuciosos. Veja o que fazer:

Vete o acesso

Antes de tudo, tome cuidado para não carregar mais pulgas para dentro do imóvel. Se você vive ou trabalha numa propriedade rural, use roupas fechadas e repelente quando estiver no campo.

Cuide dos animais

Observe cães e gatos – não só os domésticos, mas os que circulam pelos arredores. Caso estejam se coçando demais, ou mordendo partes do próprio corpo, podem estar infestados.

Ainda, passe um pente fino nos bichos de estimação para verificar a presença de insetos. Se houver, providencie o tratamento adequado. Um veterinário poderá prescrever medicamentos e cosméticos próprios para o peludo.

Use água morna

Lave caminhas, toalhas e brinquedos do seu pet. Deixe-os de molho em água morna (em torno de 60°C) para eliminar parasitas jovens.

Prefira o aspirador

O aspirador de pó é a melhor ferramenta para remover ovos e pupas de pulga. Passe o aparelho no piso, no carpete e nos rodapés.

Evite outras pragas

Instale barreiras físicas em telhados e parapeitos. Essa medida afasta pombos, que carregam parasitas e causam bastante sujeira nas edificações.

Saiba mais: Incidência de pombos aumenta no verão

Em acréscimo, mantenha a faxina em dia. O acúmulo de entulho e de restos de comida pode atrair ratos, que também são hospedeiros de pulgas.

Recorra à dedetização

Por fim, invista na desinsetização de quintais, canis, varandas e áreas internas.

Lembre-se de que 95% das pulgas estarão nas formas jovens do ciclo evolutivo, vivendo em frestas e cantinhos de difícil acesso. Mesmo que você adote as medidas que sugerimos, não há garantia de controle total da infestação. No mais, inseticidas comuns atingem apenas as pulgas adultas.

Ou seja: você precisa de acompanhamento profissional para lidar com a praga. Confie no trabalho da Desinservice. Nossa equipe utiliza domissanitários autorizados pela Anvisa, o que assegura uma imunização eficiente sem comprometer a saúde de pessoas e animais.

Entre em contato conosco e solicite um orçamento para controle de insetos. Aproveite e conheça, também, nossos serviços de controle de ratos e controle de pombos para uma proteção completa contra pulgas.

Fones: (55) 3028.6888 / (51) 3723.1502. Atendemos em todo o Rio Grande do Sul.

Orçamentos para Controle de Pragas, Sanitização e Higienização de Reservatórios