Blog Desinservice

Novidades e conteúdo exclusivo sobre saúde ambiental.

Limpeza de caixa d’água é um procedimento importante tanto para garantir a integridade do equipamento quanto para evitar doenças. Porém, esse trabalho não pode ser conduzido por qualquer amador. A seguir, esclarecemos as principais dúvidas sobre o assunto. Confira!

Por que é importante realizar a limpeza de caixa d’água?

O principal motivo é bastante óbvio: eliminar a sujeira. A água que chega ao reservatório não vem totalmente limpa. Por mais que haja tratamento, sempre fica alguma sujidade na tubulação ou microrganismos na estrutura. Por conta disso, o recipiente vai acumulando incrustações escuras formadas por material biológico. Elas podem causar mau cheiro, entupir o encanamento e deteriorar o recipiente.

No entanto, o perigo maior são as doenças. Caixas d’água costumam virar criadouros do mosquito Aedes aegypti, transmissor de dengue, zika e febre chikungunya. As más condições de higiene também favorecem o surgimento de algas, que podem liberar toxinas.

Ainda, a propagação de protozoários ou bactérias causa problemas graves e põe em risco a saúde da sua família. Conheça algumas doenças causadas por água contaminada:

Gastroenterite

A infecção intestinal causa náuseas, vômito e diarreia. Na maioria das vezes, é provocada por parasitas presentes na água e nos alimentos preparados com esse líquido. Alguns dos germes são os grupos bacterianos Salmonella e E. Coli.

Febre tifoide

A transmissão dessa doença infectocontagiosa ocorre via fezes e urina humanas que contenham a Salmonella enterica typhi. Por isso, os registros são mais comuns em áreas sem saneamento adequado. Além de febre prolongada, dores de cabeça e mal-estar generalizado, o paciente pode apresentar confusão mental e chegar a óbito.

Leptospirose

Camundongos e ratazanas costumam portar a bactéria, que é expelida pela urina dos animais contaminados e sobrevive até seis meses no ambiente. Assim, a Leptospira pode se proliferar em caixas d’água sem manutenção. O contágio causa cansaço muscular, calafrios, manchas avermelhadas pelo corpo e desidratação.

Saiba mais: Por que ainda existe dengue no Rio Grande do Sul?

De quanto em quanto tempo limpar a caixa d’água?

Sempre que necessário. É bom verificar periodicamente se o reservatório de água se encontra em perfeitas condições. Afinal, rachaduras são a porta de entrada para insetos – como o Aedes aegypti, que se reproduz nesse ambiente.

Ratos, baratas e pombos também podem circular pelo espaço para saciar a sede. O problema, além da sujeira, são os parasitas que eles carregam, como bactérias e protozoários. Muitos desses são causadores das doenças que citamos anteriormente.

Segundo a resolução RDC nº 216, da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), as caixas d’água devem estar livres de rachaduras, infiltrações e vazamentos. O texto diz respeito a empresas do setor alimentício, mas essas boas práticas se estendem a outros ramos de atividade.

Ainda de acordo com a Anvisa, a periodicidade mínima para a higienização do reservatório é de uma vez a cada seis meses. Contudo, conforme a intensidade do uso, pode ser preciso lavar a caixa d’água em intervalos ainda menores. Na dúvida, consulte um técnico capacitado.

Quando limpar a caixa d’água?

O procedimento pode ser executado a qualquer época do ano. Se bem que existem algumas vantagens em realizar a higienização do reservatório durante o inverno – ou então fora de temporada, no caso de um hotel. Entenda os fatores que ajudam a definir a época certa:

  1. Consumo de água é menor nos dias frios

As pessoas costumam sentir menos sede no inverno. Numa empresa, por exemplo, as idas ao bebedouro acabam sendo menos frequentes.

Além disso, a gente não transpira tanto. Logo, suja menos roupa e não precisa usar a máquina de lavar com tanta intensidade. Até a quantidade de banhos, ou pelo menos o tempo embaixo do chuveiro, tende a ser menor. Basta comparar a conta de água de julho com a de janeiro e você terá uma ideia disso.

Durante a higienização do reservatório, é preciso interromper o fornecimento de água no prédio. Sendo assim, nada melhor que escolher um período em que a demanda já seja naturalmente mais baixa. Essa estratégia evita o desabastecimento.

  1. Pragas não seguem o calendário

Se o consumo de água para lavar roupa ou encher piscinas diminui no inverno, o mesmo não se pode dizer da incidência de pragas. Com o frio, essas criaturas procuram lugares aquecidos para se refugiar. E o telhado de uma edificação, justamente onde ficam instaladas as caixas d´água, pode ser um ótimo abrigo.

Os ratos e os pombos são as maiores preocupações. Esses animais podem invadir reservatórios para saciar a sede. O perigo é que, em alguns casos, eles ficam presos dentro do equipamento e morrem afogados. Imagine o risco sanitário que um bicho em decomposição representa para quem consumir aquele líquido…

Outra situação que merece destaque é a do Aedes aegypti. O mosquito, como sabemos, se reproduz em água limpa e parada. Mesmo que os insetos adultos não resistam às temperaturas geladas, os ovos e as larvas podem sobreviver nesse ambiente. Desse modo, é importante manter um controle regular da praga para evitar surtos de doenças no futuro.

  1. Reservatórios podem sofrer deterioração

Não são apenas as pragas que podem causar prejuízos. O próprio desgaste dos equipamentos leva à deterioração, que se acentua quando não há os devidos cuidados.

Como dissemos anteriormente, a água armazenada nos reservatórios contém minerais e materiais biológicos. Com o passar do tempo, essa mistura de elementos vai criando incrustações escuras que se depositam nas paredes internas do recipiente. Essa crosta fedorenta, se não for removida, pode entupir a tubulação e até corroer o revestimento da caixa d’água.

Nem precisamos mencionar as consequências dessas fissuras, né? Vazamentos, infiltrações e até rompimentos, nos casos mais graves. Nessas horas, só resta preparar o bolso, pois o conserto das estruturas danificadas sairá muito mais caro que a higienização do reservatório.

Saiba mais: Conheça as principais causas para o entupimento de canos

  1. Planejamento diminui transtornos

Agora imagine a seguinte situação: você tem uma casa de praia. Aproveitando que fez um calor inesperado em outubro, sua família decide passar o feriadão do dia 12 no litoral. Só que, chegando lá, a residência está empoeirada, os quartos cheiram a mofo e, sim, falta lavar a caixa d’água.

Uma faxina geral resolveria esses problemas, mas por que gastar um dia inteiro com tarefas domésticas, quando vocês poderiam estar curtindo a beira do mar? O melhor é realizar a manutenção do ambiente antes da viagem, de modo que todo mundo possa aproveitar a folga ao máximo depois.

No caso da higienização do reservatório, limpar a caixa d’água no inverno se mostra a época certa para a realização da tarefa. Como o tempo recomendado para renovar o procedimento é de seis meses, você pode realizá-lo ali por agosto ou setembro. Dá para curtir a temporada de férias sem medo, pois a água estará limpinha para beber, tomar banho e cozinhar.

Como é feita a limpeza da caixa d’água?

Não basta esvaziar a caixa d’água e lavá-la com água e esponja. Esse procedimento remove as incrustações aparentes, mas é ineficiente para a desinfecção bacteriológica. Ou seja: os agentes patógenos continuam ali.

A manutenção dos reservatórios de água deve ficar a cargo de uma equipe especializada. Os profissionais dividem o procedimento de limpeza e higienização de caixas d’água em três etapas, a começar pelo esvaziamento do conteúdo. Em seguida, são feitos o enxague e a desinfecção bacteriológica com materiais específicos. Por fim, ocorre a reposição de água potável no recipiente.

O trabalho é relativamente simples e rápido. Após a conclusão, o abastecimento de água pode ser normalizado em meia hora. Desse modo, você não precisa interromper as atividades regulares da casa ou da empresa.

Como evitar o desperdício de água durante o esvaziamento?

Os serviços de manutenção costumam acontecer com data e hora marcadas. Sabendo disso, feche os registros alguns dias antes para interromper a entrada de água da rua. Desse modo, no momento da limpeza, o nível do reservatório estará abaixo dos 20 cm de altura.

Numa empresa ou num condomínio residencial, deve-se avisar o público interno previamente quanto à realização do procedimento. Assim, todos podem se programar.

Enquanto ocorre a limpeza da caixa d’água, é importante não abrir torneiras nem acionar descargas. Isso previne a entrada de ar nos canos.

Após o procedimento, deve-se aguardar cerca de 30 minutos. Depois desse período, tanto o abastecimento quanto o consumo poderão, enfim, ser retomados.

Saiba mais: Por que (e quando) realizar o esgotamento de fossa

Quem deve realizar a limpeza de caixas d’água?

Uma equipe especializada deve realizar a higienização. Isso porque simplesmente lavar a caixa d’água com esponja não é o bastante para completar a desinfecção bacteriológica do ambiente.

Os profissionais utilizam substâncias específicas, autorizadas pelos órgãos de saúde do país. Fora isso, contam com aparatos de proteção individual para serviço em altura, além de seguir manuais de boas práticas para evitar acidentes.

A higienização de reservatórios é um serviço oferecido pela Desinservice. Entre em contato conosco e solicite um orçamento! Fones: (55) 3028-6888 / (51) 3723-1502. Whatsapp: (55) 99905-3373. Atendemos em todo o Rio Grande do Sul.

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar por E-mail
  • Compartilhar no LinkedIn

Posts Relacionados