Blog

Novidades e conteúdo exclusivo sobre saúde ambiental.

Abrir a torneira e ver a água correr é um gesto tão automático que, às vezes, a gente ignora toda a complexa estrutura dentro das paredes. Muita gente só se lembra do encanamento quando um duto estoura ou o ralo da pia entope. Aí, o prejuízo é grande. Por isso, hoje você vai ver como aumentar a durabilidade de tubos e conexões.

9 dicas para prolongar a vida útil do encanamento

É difícil calcular o tempo de vida útil do encanamento. Vai depender da qualidade do material usado na construção, mas também das condições do ambiente.

Por exemplo, os especialistas estimam que o PVC possa resistir mais de 50 anos. Só que tubulações aparentes sofrem degradação devido à exposição ao sol, entre outros fatores. Nesses casos, pode haver necessidade de substituir as peças com frequência. E toda reforma gera gastos, né?

A boa notícia é que cuidados simples, tanto na obra quanto no uso diário, ajudam a preservar o patrimônio. Acompanhe nossas dicas e veja o que fazer.

1. Use o material adequado para cada situação

Se você pretende ter condução de água quente, comum em fábricas e hotéis, a solução está nos tubos de cobre. Eles são resistentes às altas temperaturas e duram muitos anos – talvez mais que a própria edificação.

É preciso tomar cuidado no cruzamento das instalações de água quente e água fria. Essas últimas são feitas em PVC. Sem o isolamento adequado, o choque térmico causa danos à tubulação, podendo ocasionar vazamentos.

2. Não jogue água quente no ralo da pia

Aliás, a resistência à temperatura é uma das questões mais sérias. Os canos de PVC suportam líquidos com até 20°C. Mais que isso e o plástico tende a se deteriorar.

Ou seja: sabe aquele truque de escoar água quente pela pia para evitar entupimentos? Esqueça. Isso pode funcionar no curto prazo, mas vai danificar as estruturas.

3. Descarte os rejeitos no lixo, não no ralo

Falando em cano entupido, aí vai uma recomendação importante: jogue apenas água e sabão na pia.

Ao lavar a louça, é comum que algumas sobras de alimentos desçam pelo ralo. Porém, o ideal seria depositar os restos de comida no lixo orgânico. É que os elementos sólidos bloqueiam o encanamento, além de causar mau cheiro.

Óleo de fritura e outros líquidos gordurosos também devem ser descartados à parte. Já os produtos de limpeza muito fortes são corrosivos, capazes de agredir as superfícies e causar rompimentos. Evite-os.

Saiba mais: Conheça os materiais que causam entupimento em canos
4. Preste atenção às conexões

Mesmo que você use material de primeira linha na obra, a execução às vezes deixa falhas. Portanto, contrate um encanador experiente ou uma empresa especializada em serviço de hidráulica para conduzir a instalação.

Conectores, válvulas e soldas são pontos particularmente sensíveis. Essas partes devem estar devidamente encaixadas para você prolongar a vida útil do encanamento. Uma folga entre as peças abrirá espaço para infiltrações. Resultado? Quebra-quebra para arrumar o estrago.

5. Lembre-se: cano não é cabide

A maioria das residências e dos hotéis possui encanamento interno. Já algumas fábricas preferem utilizar tubulações aparentes, inclusive para facilitar a manutenção.

O problema é que, desse modo, os canos sofrem mais impacto. E não estamos falando apenas de uma trombada acidental. O simples fato de apoiar-se num duto, ou usá-lo como cabide para pendurar panos de limpeza, pode causar avarias.

6. Saiba identificar vazamentos no início

Outra medida para aumentar a durabilidade de tubos e conexões é consertar pequenos danos logo no início. Assim, você impede que um simples vazamento evolua para uma infiltração gigante.

Basta observar os sinais no piso, nas paredes e no forro. Eles incluem dilatação, inchaço e umidade excessiva.  Notando qualquer alteração, busque ajuda profissional. Os especialistas também indicam a realização de uma avaliação técnica periódica do sistema hidráulico – a cada cinco anos ou conforme a necessidade do imóvel.

Saiba mais: Como desentupir pia sem sofrimento
7. Abandone as tubulações de ferro

Algumas casas com mais de 30 anos ainda têm encanamento de ferro. No entanto, esse recurso caiu em desuso. O contato com os minerais da água torna as paredes internas dos canos mais espessa, o que dificulta o escoamento. Com o tempo, o metal também enferruja e se rompe com facilidade.

Fora os danos materiais, há o perigo para a saúde. A oxidação aumenta a quantidade de partículas de ferro na água, tornando-a imprópria para o consumo. Resumindo, aproveite a próxima reforma e invista numa tubulação de PVC.

8. Realize limpezas de manutenção

O ralo do chuveiro acumula fios de cabelo que impedem a passagem da água. A área deve ser limpa a cada seis meses – ou com mais frequência, no caso de clubes, academias e outros vestiários com alta circulação de pessoas.

O sifão da pia merece cuidados semelhantes. Para higienizá-lo, basta fechar o registro e desenroscar a peça. Use um balde para aparar o líquido excedente. Limpe o interior do sifão com uma escova e, em seguida, ajuste-o de volta ao local.

9. Esvazie a fossa e a caixa de gordura

A fossa séptica armazena o conteúdo mais pesados do esgoto, funcionando como uma primeira etapa de tratamento de efluentes. Já a caixa de gordura, ou graxeira, é um reservatório para a matéria orgânica da cozinha.

Ambos os recipientes ficam cheios com o passar dos meses. Em restaurantes ou cozinhas industriais, por exemplo, a manutenção da graxeira deve ser mensal. Isso evita o transbordamento e impede que os rejeitos subam de volta pelo cano.

Acredite: uma situação dessas não seria nada agradável. Haveria entupimentos, fedor e danos às tubulações.

Saiba mais: Causas para o mau cheiro no ralo da pia

Limpeza de encanamento: por que chamar profissionais

Vale lembrar que o esgotamento de fossas e caixas de gordura deve ser realizado por uma empresa licenciada. Esses recipientes representam alto risco de contaminação, pois contêm bactérias e outros microrganismos nocivos.

Os profissionais do serviço de limpa fossa utilizam uma bomba de auto vácuo superpotente. Esse equipamento suga o material até um compartimento isolado. Dessa maneira, não há manipulação direta dos resíduos orgânicos. Depois, o descarte é feito em aterros específicos, o que minimiza o impacto ao meio ambiente.

Saiba mais: Para onde vão os resíduos do esgotamento de fossa

Outro cuidado para preservar o encanamento e aumentar a vida útil do sistema hidráulico é a limpeza com hidrojateamento. O procedimento utiliza um jato d’água em alta pressão para remover incrustações difíceis. Esse processo atinge até as tubulações mais profundas sem que você precise arrebentar o piso ou as paredes. E o melhor: como não leva químicos corrosivos, mantém a integridade das superfícies.

A Desinservice possui todas as licenças dos órgãos competentes. Temos uma equipe qualificada e maquinário de ponta. Está tudo nos conformes para proteger o seu patrimônio.

Quer saber mais? Entre em contato conosco e solicite um orçamento para higienização de fossas e caixas de gordura. Fones: (55) 3028.6888 / (51) 3723.1502. Whatsapp: (55) 99905.3373. Atendemos em todo o Rio Grande do Sul.

Orçamentos para Controle de Pragas, Sanitização e Higienização de Reservatórios