Blog

Novidades e conteúdo exclusivo sobre saúde ambiental.

Eles são o terror da madeira. Uma infestação de cupins causa grandes prejuízos, já que os insetos precisam escavar móveis e outras estruturas para obter alimento. Com isso, as peças vão se tornando ocas até que fiquem inutilizadas.

A internet está cheia de receitas caseiras para lidar com a praga. Muitas delas se mostram ineficazes, então alguns consumidores acabam recorrendo a soluções mais drásticas, como a aplicação de veneno para cupim. Infelizmente, até mesmo esse método pode falhar.

O motivo para a ineficiência do produto é muito simples: manejo inadequado. Sem o conhecimento técnico necessário para utilizar a substância, uma pessoa leiga dificilmente consegue atingir o núcleo da colônia. Assim, mesmo investindo tempo e dinheiro na tentativa de descupinização, o problema continua.

A seguir, vamos explicar por que a dedetização profissional é a maneira mais segura e econômica de controlar cupins. Fique conosco!

Cupins não são tão frágeis quanto aparentam

Num primeiro momento, o cupim parece uma criatura indefesa. Você consegue esmagá-lo com a ponta dos dedos ou afogá-lo num copo de água. Até mesmo a luz do sol pode ser fatal para os exemplares mais sensíveis.

No caso dos reprodutores – os insetos alados conhecidos como siriris ou aleluias –, basta uma borrifada de inseticida comum para que eles fiquem tontos. Sendo assim, por que é tão difícil combater uma infestação?

Parte da explicação está nas mandíbulas desses bichos. A força da mordida é tão poderosa que algumas espécies chegam a corroer fiações elétricas e paredes de concreto. Elas não digerem esses materiais, mas abrem galerias. São túneis que servem de caminho para chegar até o alimento – ou para fugir de ameaças.

Infográfico - Sinais da presença de pragas urbanas

Quanto mais fundo os cupins penetram na estrutura, melhor será seu esconderijo. Isso porque, longe da superfície, eles podem expandir o ninho sem se preocupar com a presença de predadores. Não tem verniz nem veneno que chegue até o núcleo da colônia.

Saiba mais: Cupins no forro da casa? Resolva já esse problema

Por que veneno de cupim nem sempre elimina a praga

Você já deve ter ouvido falar em diferentes formas de combater cupim. Tem quem sugira envernizar os móveis, ou então passar vinagre, óleo de motor usado e até querosene.

Não se engane. O líquido age apenas sobre uma camada superficial da madeira. Como a maioria dos insetos vive no interior do mobiliário, eles não sentirão nenhum efeito nocivo. Pelo contrário: continuarão confortáveis em seu abrigo, devorando o miolo de mesas, cadeiras, rodapés, portas, armários e tantos outros itens.

Além disso, o uso de certos produtos representa perigo. Querosene, por exemplo, é uma substância altamente inflamável. Se houver curto-circuito, algo comum quando os cupins invadem a rede elétrica da casa, o risco de incêndio aumenta bastante.

E o que dizer, então, dos venenos comercializados em supermercados? Eles realmente podem oferecer resultados melhores, em comparação ao vinagre ou ao óleo de motor. No entanto, também têm limitações.

Cupinicidas comuns são paliativos. Eles eliminam os insetos de maneira imediata, aí até parecem que causam o efeito esperado. Só que a ação não é sistêmica. Isto é, o princípio ativo não age no ambiente por um período prolongado. Desse modo, o veneno não protege o local contra novas infestações.

Sem contar o já citado hábito que os cupins têm de adentrar cada vez mais fundo na madeira. Por essa razão, é improvável que o produto atinja toda a colônia ao mesmo tempo. Sempre restam alguns sobreviventes, que copulam entre si e dão origem a uma nova leva de destruidores.

Saiba mais: Cupins podem causar incêndios

A persistência da infestação faz com que muita gente procure alternativas ainda mais radicais para eliminar pragas. Numa situação dessas, o principal problema é a superdosagem de cupinicida. Qualquer veneno, em quantidade excessiva, é tóxico inclusive para humanos.

Em caso de problemas devido à inalação da substância, os sintomas incluem tosse, falta de ar, náusea, vômito e irritação respiratória. Crianças e idosos são os grupos mais suscetíveis ao envenenamento.

Lembre-se: emergências requerem atendimento médico. Uma dica para os primeiros socorros é entrar em contato com o plantão do Centro de Informação Toxicológica do Rio Grande do Sul (CIT/RS): 0800.721.3000. O atendimento é gratuito e funciona 24 horas por dia.

Como controlar infestação de cupim

Não estamos afirmando que veneno de cupim traz mais problemas que soluções. Ocorre que, devido à inexperiência dos consumidores, o resultado esperado pode ser difícil de atingir. Portanto, não adianta investir em produtos caros. A melhor saída para evitar o prejuízo é contar com ajuda especializada.

A dedetização de cupim, conhecida como descupinização, deve ser conduzida por uma equipe profissional. Os trabalhadores são treinados para realizar a investigação técnica da área.

Esse método consiste em localizar os focos de infestação, de modo que o tratamento possa ser feito na origem da colônia. A imunizadora também identifica quais são as espécies invasoras, pois cada uma requer procedimentos específicos.

Após essa etapa, os profissionais aplicam cupinicidas de uso controlado. São produtos autorizados pelo Ministério da Saúde, mas que só podem ser administrados por empresas que tenham autorização dos órgãos fiscalizadores.

Tal cuidado existe porque a pulverização dessas substâncias demanda o cumprimento de boas práticas. Por exemplo, o perímetro deve ser isolado, evitando a intoxicação de pessoas e animais. Já os indivíduos encarregados da dedetização devem utilizar equipamentos de proteção individual (EPIs).

Em outras palavras, não dá para confiar em qualquer empresa. Você deve contratar uma marca reconhecida no mercado.

Saiba mais: Como escolher a dedetizadora certa

A Desinservice pertence a um grupo com mais de 30 anos de experiência no ramo de controle de pragas. Nossos colaboradores passam por capacitações constantes e seguem todas as normas de segurança ambiental.

Nosso serviço de descupinização possui função curativa, para eliminar infestações, e preventiva, evitando que novos insetos atinjam as estruturas. O procedimento tem validade de 12 meses, período em que oferecemos assistência técnica completa. Atuamos em residências, em indústrias e no comércio de bens e serviços.

Você quer se livrar de vez dessas criaturas que causam apenas destruição ao seu patrimônio? Então entre em contato conosco e solicite um orçamento para o controle de cupins e brocas. Fones: (55) 3028.6888 / (51) 3723.1502. Atendemos em todo o Rio Grande do Sul.

Orçamentos para Controle de Pragas, Sanitização e Higienização de Reservatórios