Blog

Novidades e conteúdo exclusivo sobre saúde ambiental.

Prevenir acidentes é sempre mais barato que consertar estragos. Por isso, a manutenção predial é um dos cuidados mais importantes que o proprietário deve ter com seu imóvel. E a responsabilidade fica ainda maior para um síndico que toma conta de um condomínio inteiro.

Hoje vamos explicar como a limpeza e a conservação dos espaços de uso comum garantem mais economia no seu orçamento. Fique conosco e confira dicas de ações essenciais para evitar prejuízos.

7 maneiras de evitar prejuízos no imóvel

Quando se fala em manutenção do condomínio, a regra de ouro nem sempre é cortar despesas. Às vezes, é preciso pagar por serviços profissionais de qualidade. Trata-se de um investimento consciente para preservar o patrimônio material por mais tempo. Confira a lista e entenda do que estamos falando.

1. Limpeza de calhas

As calhas servem para escoar a água da chuva. Porém, essas estruturas acumulam folhas, lixo e outros rejeitos que vêm com as tempestades. Assim, o líquido empoça, podendo causar vazamentos e infiltrações.

Aí a gente pergunta o que é mais barato: pagar por uma faxina ou reformar uma parede danificada pela umidade? Pois é: a limpeza sempre se mostra como um bom negócio.

Remover a sujeira das calhas é importante, ainda, para prevenir doenças. A água parada favorece a proliferação do mosquito Aedes aegypti, transmissor de dengue, zika e chikungunya. Outras pragas urbanas maiores, como os pombos, também costumam fazer ninho nesses lugares.

Saiba mais: Dicas para evitar doenças transmitidas por pombos
2. Checagem do sistema de gás

Todas as instalações de gás de um prédio precisam ser verificadas regularmente. Essa medida existe para evitar incêndios e explosões decorrentes do mau funcionamento do sistema.

Recomenda-se que a central seja vistoriada pelo menos uma vez ao ano. Já os ramais individuais podem ser checados a cada três anos.

Esse trabalho é feito por engenheiro credenciado ao Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA). Ao final do processo, o profissional deve emitir a Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) para atestar que o maquinário está em perfeitas condições.

Dica: observe a conta de gás do condomínio. Se houver aumento brusco de valor de um mês para o outro, pode ser sinal de vazamento.

3. Limpeza da piscina

Se o seu residencial possui piscina, os cuidados serão constantes. Deve-se realizar a filtragem diariamente. Além disso, há a aplicação de cloro, o controle do pH e a aspiração, cuja periodicidade varia conforme o tamanho da área e a frequência do uso.

Outro ponto importante é a retrolavagem do filtro da piscina. Esse procedimento ajuda a remover as impurezas, fazendo com que o sistema de filtragem funcione adequadamente. Sem a higienização, o mecanismo pode apresentar sobrecarga e até parar de funcionar. Imagine a grana para consertar tudo…

Lembre-se: uma piscina suja se torna criadouro de bactérias e outros microrganismos nocivos. Mantenha a higienização mesmo durante o inverno.

Saiba mais: Por que ainda existe dengue no RS?
4. Manutenção das instalações elétricas

A manutenção predial prossegue com a vistoria do sistema elétrico. Isso porque as fiações sofrem desgaste natural, então é necessário substituí-las antes que haja um curto-circuito ou outro problema mais grave.

Conexões soltas, tomadas com mau contato, disjuntores queimados: todos esses elementos devem ser consertados por um profissional. Também vale verificar o fio terra e o sistema de aterramento semestralmente.

No mais, preste atenção à presença de ratos ou cupins no ambiente. Essas pragas podem roer os fios de energia e causar prejuízos ao condomínio.

5. Vistoria dos elementos de segurança

Todo prédio de moradia deve ter itens de segurança para minimizar as avarias em caso de sinistro. Por exemplo, os extintores de incêndio precisam estar dentro do prazo de validade, instalados em pontos estratégicos e operando normalmente. Dessa forma, pequenas chamas podem ser apagadas sem que virem labaredas incontroláveis.

Nos corredores e nas escadarias, é prudente ter lâmpadas de emergência, que se acendem quando há queda de energia. Dica: desligue a fonte de alimentação uma vez por mês, simulando uma falta de luz, para ver se o equipamento está funcionando.

6. Higienização das caixas d’água

A limpeza dos reservatórios de água é recomendada a cada seis meses. Esse procedimento remove o lodo e a matéria orgânica que ficam depositados dentro dos recipientes.

Quando não há a devida manutenção, as estruturas podem apresentar entupimentos, fissuras e até rompimentos completos. Agora imagine uma caixa d’água liberando mil litros prédio abaixo. Os apartamentos certamente seriam afetados pela inundação!

Para piorar, a sujeira no reservatório compromete a saúde dos moradores. Há o risco de contaminação por bactérias e protozoários, bem como a proliferação de pragas urbanas.

A higienização da caixa d’água deve ser feita por uma equipe que cumpra normas de segurança. Entre elas, destacamos a NR 33, que estipula regras para trabalho em espaços confinados, e a NR 35, que dispõe sobre o trabalho em altura.

Saiba mais: Vantagens de limpar a caixa d’água no inverno
7. Controle de pragas (dedetização)

Por fim, apontamos o controle de pragas como medida para evitar prejuízos no condomínio. É que cupins, formigas, baratas e ratos podem destruir um imóvel.

Comecemos pelos cupins. Esses insetos se alimentam de madeira seca. Um colônia corrói desde móveis até portas e vigas de sustentação, tornando esses materiais completamente ocos.

Os ratos, por sua vez, acabam com o paisagismo de um jardim, pois podem atacar as plantas. Ainda, eles espalham sujeira por onde passam, deixando um rastro de gordura, urina e fezes que pode deteriorar as paredes.

Já a grande preocupação em relação a formigas e baratas são as enfermidades. Essas criaturas carregam fungos e bactérias nas patas, podendo transportar os microrganismos de um cômodo ao outro rapidamente. Numa zona densamente povoada, como é o caso de um condomínio residencial, isso pode significar um surto de doenças.

Apenas o controle profissional de pragas, conhecido popularmente como dedetização, pode resolver infestações. As imunizadoras utilizam produtos de uso restrito e seguem boas práticas para eliminar os focos do problema sem comprometer a saúde dos condôminos.

Quer saber mais sobre o assunto? Então baixe nosso e-book!

Manutenção de CONDOMÍNIO: 7 coisas que todo síndico deve saber

Vale lembrar que as substâncias empregadas nesses procedimentos têm vida útil limitada. Portanto, os serviços de desinsetização, desratização e descupinização devem ser renovados regularmente.

A Desinservice possui uma equipe altamente qualificada para o controle de pragas. Utilizamos equipamentos de ponta, realizamos treinamentos de capacitação com nossos colaboradores e operamos de acordo com as exigências dos órgãos reguladores.

E tem mais: na modalidade contratual, você garante a renovação automática dos serviços no condomínio. Assim, é possível realizar a gestão do controle de pragas com efetividade e por um preço reduzido.

Entre em contato conosco e solicite um orçamento para controle de insetos, controle de ratos ou controle de cupins e brocas. Também atuamos com higienização de reservatórios de água. Fones: (55) 3028.6888 / (51) 3723.1502. Atendemos em todo o Rio Grande do Sul.

Orçamentos para Controle de Pragas, Sanitização e Higienização de Reservatórios