Blog

Novidades e conteúdo exclusivo sobre saúde ambiental.

Quem vive no Rio Grande do Sul está acostumado a temperaturas extremas, do frio congelante ao calor abafado. Ainda bem que existem equipamentos de climatização para aumentar o conforto dentro de casa ou da empresa! Nesse ponto, a limpeza do ar-condicionado é fundamental para garantir o bem-estar nos ambientes internos.

É que a sujeira leva a prejuízos materiais e de saúde. O acúmulo de impurezas faz com que o aparelho perca eficiência, gastando mais energia elétrica. Além disso, microrganismos como fungos e bactérias proliferam-se sem controle, podendo causar doenças respiratórias. Portanto, você deve investir na manutenção do split.

Os cuidados periódicos incluem a higienização e a sanitização do ar-condicionado. Alguns desses procedimentos podem ser realizados por qualquer pessoa, mas a “faxina” mais profunda requer ajuda profissional. Continue a leitura e entenda por quê.

Por que a limpeza do ar-condicionado é tão importante

Como adiantamos no início deste artigo, uma das principais razões para você manter limpo o ar-condicionado é a economia financeira. Isso porque o sistema não atua apenas para resfriar ou aquecer uma sala. Ele também cumpre a função de remover impurezas do ar.

Com o tempo, as partículas de poeira vão se acumulando nos filtros do split. Essa crosta vai ficando mais densa até se tornar uma barreira física. Então, a sujeira impede que o ar circule corretamente, fazendo com que o motor precise trabalhar além da conta para ventilar de maneira adequada.

Essa sobrecarga pode elevar o consumo de energia elétrica. Ou seja, sua conta de luz virá mais salgada no fim do mês. Não bastasse o prejuízo, alguns componentes terão a vida útil encurtada, já que o desgaste das peças levará a problemas técnicos. Será preciso consertar a máquina, ou mesmo substituí-la por um modelo mais novo, o que encarece ainda mais o seu orçamento.

O risco à saúde pública também deve ser considerado. Por reunir tantas sujidades, o interior de um dispositivo de condicionamento de ar acaba virando o lugar ideal para a proliferação de fungos, ácaros e bactérias. Esses agentes contaminantes estão associados a diversos problemas, de simples alergias a inflamações graves das vias respiratórias.

Um equipamento sem manutenção, em resumo, é a porta de entrada para doenças como sinusite, rinite e outras “ites” bastante incômodas. Por isso, vale a pena investir na limpeza periódica do ar-condicionado.

Saiba mais: Evite doenças respiratórias no escritório

Como realizar a manutenção do ar-condicionado

A frequência para a manutenção do aparelho depende das condições do ambiente. Em geral, lugares com maior circulação de pessoas demandam um trabalho mais regular. Porém, outros fatores entram no cálculo, tais como o tamanho da área a ser climatizada e a intensidade de uso do equipamento.

Na dúvida, observe as orientações do fabricante no manual de instruções do ar-condicionado. Verifique, ainda, sinais de que é necessário higienizar os filtros. Os indícios incluem:

– Mau cheiro vindo da parte interna;

– Aumento dos ruídos;

– Vazamento de água;

– Panes e mau funcionamento (em casos extremos, o ar-condicionado não tem mais capacidade de operar e desliga sozinho);

– Conta de energia mais cara que o normal.

A limpeza do split pode ser feita por você mesmo. Numa residência, esse processo deve ser repetido pelo menos uma vez ao mês. Em escritórios e espaços comerciais, dependendo do fluxo de visitantes, é prudente recorrer à solução a cada sete ou 15 dias.

Primeiro, desligue o ar-condicionado, inclusive da tomada. Em seguida, remova o painel frontal e limpe-o com um pano úmido.

Os filtros devem ser higienizados com aspirador de pó. Outra opção é utilizar um pano umedecido com água morna e detergente neutro.

Deixe as partes secarem à sombra. É importante que elas fiquem bem secas, uma vez que a umidade favorece a proliferação de fungos.

Depois, basta recolocar as peças no aparelho. Siga as instruções do manual para encaixar tudo direitinho.

Fácil, né? Mas essa é apenas a faxina básica. Pano úmido e aspirador de pó não têm poder de eliminar todas as bactérias (e nem adianta utilizar sanitizantes abrasivos, já que água sanitária, sapólio e outras substâncias podem danificar os dispositivos eletrônicos). Sendo assim, recomenda-se a sanitização do ar-condicionado a cada seis meses.

Esse procedimento é conduzido por profissionais. A equipe administra produtos específicos para a limpeza do split, assegurando a durabilidade dos materiais. A serpentina, a turbina e a bandeja do condensado ficam como novas, sem impurezas que prejudiquem o funcionamento da aparelhagem nem germes que ameacem a saúde dos usuários.

Sanitização de ar-condicionado

Sanitização de ar-condicionado.

Saiba mais: Sanitização em hotéis garante bem-estar aos visitantes

Sanitização de ar-condicionado e PMOC

A realização do serviço de sanitização é supersimples. O local não precisa ser evacuado durante o procedimento. Após a conclusão da tarefa, o ar-condicionado pode ser acionado em 60 minutos. Trata-se de um preço bastante razoável a pagar, frente ao benefício de se conquistar um ar mais puro e saudável, não acha?

Vale lembrar que estabelecimentos comerciais têm exigência legal de manter o bem-estar do público. A portaria nº 3.523, publicada pelo Ministério da Saúde em 28 de agosto de 1998, exige a manutenção dos sistemas de ar condicionado de uso coletivo. O documento determina procedimentos de limpeza e manutenção da integridade e eficiência dos componentes.

Para buscar a qualidade do ambiente e preservar a saúde das pessoas, foi estabelecido o Plano de Manutenção, Operação e Controle (PMOC). Ele deve ser aplicado em locais de uso público ou coletivo com valores de carga térmica iguais ou superiores a 60.000 BTUs em ar condicionado.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) exige a apresentação do PMOC durante suas inspeções. As informações ali presentes devem identificar se os cuidados com o sistema de climatização estão sendo realizados de forma adequada. A ausência do documento pode gerar multa de até R$ 200 mil.

Fica o alerta: ao contratar uma equipe para a sanitização, apure se a empresa fornece o PMOC. Dessa forma, você terá a comprovação de que seu negócio é um local seguro para a clientela.

A Desinservice segue as melhores práticas em sanitização de ar-condicionado. Entre em contato conosco e solicite um orçamento! Fones: (55) 3028.6888 / (51) 3723.1502. Atendemos em todo o Rio Grande do Sul.

Orçamentos para Controle de Pragas, Sanitização e Higienização de Reservatórios