Blog

Novidades e conteúdo exclusivo sobre saúde ambiental.

Existem cerca de 5 mil espécies de baratas no mundo. Apenas 1% vive nas cidades, mas o número já é suficiente para causar muito transtorno. Esses seres asquerosos se multiplicam rapidamente e podem espalhar doenças por onde passam.

A presença dos insetos é tão constante que eles parecem indestrutíveis! E, infelizmente, a impressão tem um fundo de verdade.

5 razões por que você não consegue eliminar baratas

Das espécies sinantrópicas, aquelas que vivem na zona urbana, duas merecem atenção. A francesinha (Blatella germanica) é a barata miúda que se aloja em cozinhas e despensas. Já a barata-americana (Periplaneta americana), a cascuda grandona, vive nos esgotos.

Embora os nomes remetam a pragas “importadas”, ambas são muito comuns no Brasil. O motivo está na capacidade de resistência e adaptação desses bichos. A seguir, acompanhe cinco fatos que explicam por que infestações de baratas são tão frequentes.

1. Baratas sobrevivem há milhões de anos

O fóssil mais antigo de barata tem aproximadamente 320 milhões de anos. Isso significa que a criatura já circulava pela Terra bem antes dos dinossauros, surgidos 75 milhões de anos mais tarde. Desde então, o corpo do inseto não evoluiu muito. Registram-se apenas variações nos espinhos das pernas e nas nervuras das asas.

Talvez as características biológicas ajudem a explicar a longevidade das baratas. Elas possuem as estruturas vitais no tórax e respiram por orifícios nas laterais do corpo, os espiráculos. Dessa forma, conseguem se manter vivas até mesmo quando são decapitadas!

Além disso, escassez de comida nunca é problema. A barata-americana chega a sobreviver 90 dias sem alimento e 40 dias sem água.

2. Baratas sabem se esconder dos predadores

Se você já tentou dar uma chinelada numa barata, precisa reconhecer que o bicho sabe escapar como ninguém. A rapidez para fugir ocorre devido a dois elementos. Os espinhos traseiros captam deslocamentos de ar, sinalizando quando uma ameaça se aproxima. Enquanto isso, as células sensíveis à luz ajudam a identificar áreas mais seguras na sombra.

É justamente nos locais escondidos, como vãos entre a parede e o armário, que muitas espécies depositam as ootecas. Essas estruturas contêm dezenas de ovos de barata. O ambiente doméstico se torna um ótimo refúgio, pois não há predadores naturais. Assim, os filhotes podem nascer livremente – e já chegam ao mundo infestando a sua cozinha.

Saiba mais: Dicas simples para manter os insetos noturnos longe
3. Ciclo reprodutivo das baratas fica mais intenso no verão

Na verdade, todos os insetos se proliferam de forma intensa nos meses quentes. A alta no termômetro acelera o metabolismo das baratas, fazendo com que cheguem à fase adulta em menos tempo.

As condições climáticas do verão também são ideais para a sobrevivência das cascudas. Elas preferem fazer o ninho em um local com temperatura ambiente superior a 25°C e umidade relativa do ar acima dos 50%.

No entanto, isso não significa que as infestações sumam no inverno. Aliás, pode acontecer o fenômeno oposto. O interior das casas se torna o lugar mais propício para a reprodução dos seres indesejados durante os dias frios. Uma despensa, por exemplo, costuma ser bem aquecida – além de ter alimento de sobra para as invasoras.

4. Baratas comem qualquer coisa

“Coma de tudo”, recomendam muitos pais a seus filhos para as crianças crescerem fortes e saudáveis. Nesse ponto, mais uma vez, deve-se reconhecer o mérito das baratas.

A praga urbana não é chata para escolher o jantar. Cola, papel, fezes, restos de alimentos e até cadáveres em decomposição servem de prato para o banquete.

As baratinhas miúdas que invadem a sua cozinha podem atacar os produtos industrializados. Elas adoram cerveja e cacau, por exemplo.

Já as cascudas de esgoto se deliciam com matéria orgânica gordurosa. É por essa razão que você deve manter a graxeira vedada. Basta uma rachadura no equipamento para as penetras invadirem seu quintal sem convite nem cerimônia.

Saiba mais: Tire suas dúvidas sobre desentupimento
5. Baratas se tornam resistentes a inseticidas

Cientistas da Universidade da Carolina do Norte (EUA) apontam que a francesinha pode desenvolver aversão à glicose. Ocorre que essa substância serve de base para iscas de captura do inseto. Em outras palavras, a estratégia para eliminar a invasora tende a se tornar ineficaz no longo prazo.

Outra pesquisa, da Universidade de Purdue (EUA), indica que a mesma espécie também consegue criar resistência aos inseticidas vendidos em supermercado. A característica genética é transmitida à prole. Então, as próximas gerações passam a infestar a área com muito mais força.

Portanto, não tente eliminar a praga usando venenos comuns. As sobreviventes poderão dar origem a filhotes de barata indestrutíveis!

Como eliminar baratas em casa

Ok, admitimos que é difícil eliminar baratas por conta própria. Ainda assim, você pode adotar medidas preventivas para diminuir a incidência dessas criaturas nos arredores. Veja o que fazer:

– Instale telas nas janelas para impedir o acesso de insetos ao interior do prédio;

– Mantenha ralos e bueiros tampados;

– Vede rachaduras nas paredes, pois podem servir de abrigo às invasoras;

– Ao chegar do supermercado, observe as sacolas plásticas para verificar se há francesinhas junto aos produtos;

– Armazene os alimentos em potes fechados;

– Faça faxina com frequência, principalmente na despensa, na cozinha e em áreas de depósito de materiais;

– Verifique a presença de insetos ou ootecas em pontos de refúgio, tais como atrás do armário e embaixo da geladeira;

– Deposite o lixo em latões com tampa, uma vez que os detritos servem de alimento para pragas;

– Não faça lanches na sala ou em frente ao computador, pois os farelos poderão atrair insetos.

Lembre-se, ainda, que inseticidas comuns têm apenas ação paliativa. Os produtos afugentam alguns invasores, mas não agem no núcleo da colônia. Ou seja: não acabam com a infestação.

Saiba mais: Descubra as consequências do uso incorreto de inseticidas

O jeito mais eficaz para o controle de pragas urbanas é a desinsetização, também conhecida por dedetização. Nesse caso, os profissionais utilizam domissanitários autorizados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Essas substâncias resolvem o problema e criam uma barreira protetora no local.

Infestações mais brandas podem ser solucionadas com a instalação de iscas de gel. Assim, não há necessidade de desocupar a residência. A resolução do serviço é rápida, levando até 48 horas.

Nas situações mais graves, em que a invasão das baratas já atingiu níveis severos, é preciso recorrer à pulverização com domissanitário líquido. Isso implica isolamento da residência durante o procedimento e por um período mínimo de 14 horas após a aplicação. Você pode conferir mais detalhes no nosso Manual de Recomendações.

Manual de Recomendações - Desinservice

Qualquer que seja o caso, chame a Desinservice. Nós seguimos as melhores práticas de controle de pragas recomendadas pelos órgãos reguladores. Desse modo, conseguimos eliminar baratas com agilidade e eficiência, respeitando a sua saúde e preservando o meio ambiente.

Acabe com as invasoras de uma vez por todas! Entre em contato conosco e solicite um orçamento para controle de insetos. Fones: (55) 3028.6888 / (51) 3723.1502. Atendemos em todo o Rio Grande do Sul.

Orçamentos para Controle de Pragas, Sanitização e Higienização de Reservatórios